terça-feira, 1 de novembro de 2011

VALSA

EURYDICE

O teu rosto era mais antigo do que todos os navios
No gesto branco das tuas mãos de pedra
Ondas erguiam seu quebrar de pulso
Em ti eu celebrei minha união com a terra

Sophia de Mello Breyner Andresen

Um comentário:

leovalesi disse...

O rosto tão distante na beleza reside.
Lindamente escrito e imagem velada. Veículo de luz!